Notícias

Notícias

nov 11, 2021

Empresários da FIEPE Agreste dialogam sobre situação econômica do setor industrial

Em reunião on-line realizada nesta terça-feira (09), a última do ano, empresários do Conselho Regional da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) debateram sobre as principais dificuldades do setor na retomada da economia. Representantes do departamento de economia da FIEPE, Abrãao Rodrigues, Denise Honorato e Vinícius Torres, apresentaram dados atualizados sobre o panorama da indústria, onde foram identificaram os principais problemas enfrentados pela indústria no terceiro trimestre de 2021. Além disso, os conselheiros ficaram a par das ações mais recentes realizadas pelo Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil de Pernambuco (NTCPE).

A pesquisa da FIEPE, em parceria com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), revelou que para 74,40% dos entrevistados alegaram que o principal problema é o preço médio das matérias-primas. Para 59,57%, a falta ou o alto custo das matérias-primas tem sido o maior desafio. A elevada carga tributária continua sendo o grande problema para 31.91%. Em quarto lugar, com 31,91%, está a falta ou o custo alto da energia e, em quinto lugar, com 29,79%, a demanda interna insuficiente. “Nossas reuniões do Conselho têm essa importante função de atualizar nossos conselheiros sobre a situação econômica e pensar, de forma conjunta, com os empresários ações que possam tornar a indústria mais competitiva nessa retomada, ressaltou a coordenadora de operações da FIEPE, Julienny Mary.

Atualizações também sobre o mercado têxtil e de confecções, o principal da região. O presidente do NTCPE, Wamberto Barbosa, apresentou as ações que estão sendo desenvolvidas pelo Núcleo para impulsionar o mercado. Entre elas, nova campanha publicitária do Polo de Confecções do Agreste intitulada “Moda PE”, que tem como slogan “É pra vestir e investir”, incentivando o consumo próprio e o investimento de larga escala por meio da revenda e da exportação de produtos. “Encerramos o calendário de reuniões do Conselho de forma muito proveitosa, com informações importantes para os nossos empresários que lidam no dia a dia com a economia e que têm atuado para recuperar nossas empresas da crise. A FIEPE não apenas levanta demandas do setor, mas, também leva informação qualificada para seus empresários”, disse o diretor regional da FIEPE, João Bezerra.

Encerrando a última reunião do ano, os conselheiros conheceram a empresa Comeia Labs, de Caruaru, que expandiu sua atuação e oferece serviços de transformação digital para a indústria. “Existe um déficit profissionais de tecnologia, o que é um grave problema para o desenvolvimento tecnológico do País. Nesse cenário, ao invés de perdermos profissionais para o mercado, conseguimos crescer, saindo de 20 para mais de 100 profissionais, e nosso projeto para 2022 é chegar aos mil, e essa rede está à disposição para nos ajudar as indústrias a acompanharem os avanços tecnológicos”, finalizou Rafael Soares, que apresentou o negócio junto com o também integrante da Comeia, Miguel Barreto.

compartilhe