Notícias

Notícias

jul 05, 2019

Destinação correta dos resíduos sólidos é desafio possível para o mercado

Mais um FIEPE Ambiental em comemoração aos 10 anos do projeto aconteceu nesta quinta-feira (4), no auditório do SENAI, em Santo Amaro. Dessa vez, o tema abordado foi ‘Conhecendo uma Central de Tratamento de Resíduos e sua Aplicabilidade’, com Juliana Braz, da CTR Igarassu.

O presidente do Conselho Temático de Meio Ambiente, Anísio Coelho, disse que a ideia é mostrar as oportunidades e os desafios do tratamento dos resíduos sólidos, através da experiência da CTR Igarassu.

“Pernambuco gera dez mil toneladas de lixo por dia, sendo que somente setenta e oito municípios fazem o descarte correto e trinta e sete por cento do lixo vão para o lixão a céu aberto. É preciso debater o assunto com quem tem a expertise para inspirar”, afirmou, se referindo à trajetória da CTR.

Situada em município homônimo, a CTR Igarassu é uma empresa que fornece a Pernambuco e as demais regiões do Nordeste a infraestrutura capaz de realizar tratamento e disposição final dos resíduos públicos e privados, de modo a garantir a preservação do meio ambiente.

Durante a palestra, Juliana Braz reforçou os braços de atuação da empresa e destacou as especificidades dos aterros, assim como explicou como acontece o monitoramento ambiental a partir de leituras geotécnicas e análises físico-químicas.

Em uma área própria de 106 hectares, sendo 20 hectares de reserva legal, a CTR está sob segura plataforma para tratamento e destinação final de resíduos sólidos, conforme classificação da NBR 10.004.

compartilhe