Notícias

Notícias

mar 17, 2021

Diretoria executiva da FIEPE discute soluções com o secretário Geraldo Júlio

Em reunião como secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Geraldo Júlio, na manhã desta quarta-feira (17), a diretoria executiva da FIEPE explanou sobre os principais pleitos do setor produtivo enviados ao Governo de Pernambuco. Temas centrais das discussões, os programas de recuperação fiscal foram os principais pleitos dos empresários, que apresentaram ainda a pesquisa realizada pela Federação sobre os impactos da COVID-19 nesses 12 meses de pandemia e outro levantamento da CNI, que aponta sobre a importância do setor industrial para a sociedade.

“Estamos aqui para somar. Quando fazemos essas solicitações, é para a melhoria geral do Estado. Somente com uma economia saudável, em que a população tenha emprego e renda, poderemos voltar a ter crescimento econômico. A indústria, que atualmente está estagnada, precisa do apoio e da iniciativa dos governos para voltar a gerar riquezas”, destacou o presidente, Ricardo Essinger.

Diretor Administrativo da Federação, Bruno Veloso destacou que essa segunda onda de contaminação pode trazer ainda maiores danos, já que o socorro, até o momento, será pequeno tanto para os empresários quanto para os trabalhadores. “Nesse momento, os programas de auxílio, como o de diminuição de jornada e a bolsa emergencial, estão menores. Por isso, toda ajuda é necessária”, disse. Endossando a necessidade dos REFIS municipais, estadual e federal, o diretor Financeiro, Felipe Coêlho, alertou para a falta de caixa e liquidez das e presas pernambucanas, combinada com uma crise de desabastecimento pela qual a indústria vem enfrentando. “Com essa medida, ao menos, as empresas poderão emitir suas certidões negativas de débito a fim conseguir as melhores taxas nos bancos públicos”, defende.

Na ocasião, a equipe da secretaria contextualizou o cenário de ocupação da rede pública de saúde e leitos de UTI, se colocou à disposição para receber sugestões de ações para o plano de convivência e se comprometeu em levar os pleitos do setor produtivo a outras secretarias. Geraldo Júlio também reconheceu a importância dos programas de recuperação fiscal em níveis municipais, estadual e federal. “O estado que fizer o melhor REFIS, o mais inteligente, discutido com o setor produtivo, será aquele que vai se recuperar mais rapidamente dessa pandemia”, disse, sinalizando que se uniria ao esforço da FIEPE para mobilizar a bancada pernambucana na Câmara, onde tramita o projeto.

Para o 2º Vice-presidente da FIEPE, José Antônio de Lucas Simon, a reunião foi uma oportunidade de estreitar o relacionamento com o poder público. “Nós, da indústria, estamos aqui para ajudar e contribuir com o que estiver ao nosso alcance, mas precisamos justamente desse diálogo e de previsibilidade das ações do governo, justamente para poder contribuir com a melhoria dos decretos e outras decisões”.

Participaram ainda do encontro a secretária executiva de Atração de Investimentos e Estudos Econômicos da SDEC, Ana Paula Vilaça, e o presidente da ADDiper, Roberto Abreu. Todos eles receberam da FIEPE a pesquisa sobre dos impactos nesse primeiro ano de pandemia, acesso ao levantamento da CNI sobre a indústria brasileira, ao pleito referente ao ICMS Mínimo e a outras solicitações da indústria.

compartilhe