Notícias

Notícias

abr 23, 2021

FIEPE Ambiental discute manejo sustentável da caatinga

Em mais uma edição do FIEPE Ambiental, o Conselho Temático de Meio Ambiente (Contema) da FIEPE reuniu especialistas e participantes para debater sobre o manejo sustentável da caatinga. O encontro aconteceu virtualmente na última quinta-feira (23), com transmissão a partir da Casa da Indústria, e contou com a presença do presidente do grupo, Anísio Coelho.

“É muito importante estarmos discutindo isso aqui, porque são abertas diversas oportunidades a partir do bioma da caatinga, sobretudo na parte da geração de energia através da biomassa, do carvão vegetal e também para a energia eólica, que já representa 10% da matriz nacional”, disse Anísio Coelho, que também é vice-presidente da Federação.

A primeira palestra foi feita por José Bione Filho, representante da Chesf no Centro e Referência em Energia Solar em Petrolina. Ele destacou projetos que estão sendo tocados pela Companhia no campo da exploração energética, como as plantas heliotérmicas, a subestação 4.0 e o projeto de geração de energia fotovoltaica no lago de Sobradinho.

Na segunda palestra, Francisco Campelo conversou sobre o projeto rural sustentável da caatinga. O especialista falou da necessidade de o debate estar acontecendo no dia da Terra e quando o mundo está, justamente, ligado às questões climáticas, fazendo menção à Cúpula do Clima. Ele citou ainda a importância da implantação da Câmara Setorial do Gesso para a geração do emprego e da renda, pensando no extrativismo sustentável.

Já o representante da Votorantim Energia, Alexssandro Alves Martins, falou sobre a trajetória da empresa no campo energético e a sua presença nos projetos eólicos nos estados do Piauí e de Pernambuco, bem como sobre as iniciativas sociais para o desenvolvimento local onde a empresa tem projetos instalados, como, por exemplo, os cursos técnicos profissionalizantes em sistemas de energia renovável.

Trajetória no campo energético, presença nos projetos eólicos nos estados no Piauí e PE. Não está ali apenas para gerar energia. Então desde que iniciou as atividades, começa atuando para o desenvolvimento social, com 24 projetos, que tem muitos beneficiados. Está fazendo o seu negócio social, que tem toda uma inteligência, curso técnico profissionalizante em sistemas de energia renovável.

compartilhe