Notícias

Notícias

nov 05, 2021

Especialistas debatem energia elétrica e recursos hídricos

A Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) realizou, por meio dos seus Conselhos de Meio Ambiente (Contema) e de Infraestrutura (Coinfra), a 7ª edição do Seminário de Energia e Recursos Hídricos, nesta quinta-feira (4) na Casa da Indústria, em formato híbrido. O evento contou com debates sobre energia eólica offshore, hidrogênio verde e energia renovável, bem como sobre a importância da Adutora do Agreste e Reuso de águas das Estações de Tratamentos de Esgoto (ETES) para a sociedade.

Para o presidente do Sistema FIEPE, Ricardo Essinger, a realização do evento é de suma importância para o setor industrial porque a energia elétrica é o insumo principal para a manutenção do setor. “Sem falar que também temos, através do nosso Conselho, uma grande preocupação com o uso dos nossos recursos. Com isso, esse evento busca elucidar, fazer boas análises e mostrar soluções para o mercado”, disse.

De acordo com o presidente do Contema – realizador do evento, Anísio Coelho, é com muita satisfação que esse evento é realizado pelo sétimo ano. “Buscamos sempre trazer debates que contribuam para a sociedade e para o desenvolvimento da nossa economia”, disse, destacando a necessidade de se incentivar os investimentos na energia eólica offshore, desde que se tenha segurança jurídica e a certeza de que os recursos estão sendo bem aplicados.

O primeiro painel contou com palestra de Luiz Eduardo Moraes, diretor de geração centralizada do Sindienergia-CE. Na oportunidade, ele falou da Energia Eólica Offshore como uma excelente alternativa de transição energética, que se trata de uma passagem de uma matriz energética focada nos combustíveis fósseis para uma com baixa ou zero emissões de carbono; descarbonização, descentralização e digitalização; eficiência energética e transição justa, cujo debate é sobre a energia de baixo custo.

No mesmo painel, o grupo Qair trouxe uma apresentação sobre hidrogênio verde. O diretor de Operações, Gustavo Silva, falou sobre a atuação da empresa, que tem 30 anos de mercado com foco, sobretudo, no propósito de ajudar a promover uma transição energética e o desenvolvimento sustentável.

Silva falou sobre os diversos projetos do grupo, destacando que, até 2035, espera implantar e operar, aproximadamente, 10 GW em plantas de eletrólise da água, tornando-se um dos maiores e mais ativos players em H2/NH3 do mundo. E tem o Brasil, como um de seus principais vetores para o sucesso deste projeto.
Após a apresentação da Qair, foi a vez do Cirsol trazer os detalhes da I Conferência Internacional de Resíduos Sólidos, que acontecerá no Recife entre os dias 16 e 18 de março de 2022, com apresentação de Bruno Stehling.

No painel seguinte, foi a vez de Adriano Gouveia Lira, da Neoenergia, que, além de apresentar os projetos da empresa, abordou temas como capacidade instalada e preços, crescimento das fontes, benefícios para a sociedade, logística, operação e novas tecnologias.

Na vez da Compesa, a presidente Manuela Marinho falou dos projetos da Companhia e destacou o projeto da Adutora do Agreste, que vai atender 2 milhões de pessoas a partir de um investimento de R$ 3,2 bilhões.

O diretor Industrial do SENAI-PE, Oziel Alves, também esteve no encontro, detalhando o projeto Mais Energia, Menos Custos, que irá permitir que as indústrias locais possam receber, de forma gratuita, um pré-diagnóstico no qual constará seu perfil de consumo e estimativa de redução de desperdícios com a otimização do uso da energia elétrica no processo produtivo.

compartilhe