Notícias

Notícias

mar 02, 2021

Vacinação eleva a confiança do empresário industrial

Prestes a completar um ano da chegada da pandemia a Pernambuco, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) começa a dar sinais de retomada. É que, na passagem de janeiro para fevereiro de 2021, o índice cresceu 2,5 pontos e atingiu a marca de 61,5, resultado que se aproxima dos patamares alcançados na fase de pré-pandemia, quando, em fevereiro de 2020, o indicador estava a 0,8 ponto abaixo do atual. Vale ressaltar que os dados foram colhidos durante o mês de fevereiro, portanto, é possível que o quadro de março seja diferente em razão das novas medidas restritivas implementadas pelo Governo do Estado recentemente.

De acordo com o economista da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), Cézar Andrade, pode-se dizer que o resultado está bastante elevado e isso pode ser atribuído às boas expectativas em relação ao começo da vacinação. “Esse cenário, inclusive, colocou Pernambuco à frente do resultado do Brasil, pois o empresário local entendeu que esse é um ponto essencial para a volta da normalidade, além, claro, da aprovação das reformas que estão previstas para serem debatidas no Congresso Nacional este ano”, destacou. O ICEI do Brasil alcançou 59,5 pontos.

Segundo levantamento da FIEPE, o índice de Expectativas dos empresários obteve um crescimento de 3,0 pontos percentuais na passagem de janeiro para fevereiro, atingindo 64,4 pontos. O indicador de Condições Atuais, embora menor que o de Expectativas, também apresentou uma elevação de 1,6 ponto, chegando a 55,8 na passagem do mês.

“Esse índice, em particular, reflete a percepção dos empresários pernambucanos quanto às condições correntes. Mesmo que de maneira menos acelerada, ele vem crescendo desde julho, quando voltou a se encontrar acima dos 50 pontos, em razão do retorno das atividades econômicas”, explicou o economista.

Uma curiosidade trazida pela pesquisa da Federação é que as indústrias de pequeno porte voltaram a apresentar uma queda significativa em fevereiro, enquanto que as indústrias de médio e grande porte aumentaram sua confiança nesse período. Isso tem a ver porque as pequenas empresas foram as mais atingidas desde início da pandemia e, neste mês, apresentaram uma queda de 5,0 pontos, atingindo 53,9 pontos no ICEI – mas permanece acima da média.

As empresas de médio (63,1) e grande (63,6) portes também continuam acima dos 50 pontos, ambas com variação de 4,4 pontos. No comparativo com fevereiro de 2020, as pequenas empresas apresentaram decréscimo de 5,6 pontos, as médias cresceram em 1,3 ponto, enquanto que as grandes empresas não apresentaram variações.

Cálculo do ICEI
Valores abaixo de 50 pontos indicam queda na expectativa dos empresários para os próximos seis meses. Quanto mais acima dos 50 pontos o resultado estiver, maior e mais disseminada será a expectativa.

compartilhe